The Daily Puppy

segunda-feira, 16 de julho de 2012

CÃO VIRA HERÓI AO MOSTRAR LOCAL DE INCÊNDIO AOS POLICIAIS

25/04/10




Esta é uma bela história de heroísmo animal onde uma vez mais um cão mostra sua inteligência e amor ao seu dono. Aconteceu nos Estados Unidos numa região rural do Alasca. O cão Buddy, pastor alemão de cinco anos, pertencente a Ben Heinrichs, diante do grande incêndio que se iniciava na casa e diante das palavras de seu dono - precisamos de ajuda-, não teve dúvidas, saiu em disparada em busca de ajuda.

Após percorrer vários trechos de estradas escuras e cheias de neve, finalmente chegou a uma via principal onde o policial Terrence Shanigan, alertado por moradores procurava pelo incêndio, mas sem êxito. Foi então que viu Buddy que praticamente o chamou com os olhos e saiu em disparada. O policial entendeu o apelo do animal e foi seguindo-o por várias estradas secundárias até dar com o incêndio.

A distância entre o ponto onde o policial estava e o incêndio era enorme, pois a área tem cerca de 75 quilômetros e sem a ajuda do cão provavelmente não teria encontrado a propriedade na noite escura e gelada. O trajeto do cão foi filmado pelo equipamento do carro da polícia e se observa claramente que o cão serve de guia ao veículo. Cão a chegada dos policiais ao local foi possível o salvamento e a chamada dos bombeiros impedindo que o incêndio, iniciado na oficina, destruísse a casa de Ben Heinrichs.

Prêmios de Herói

Após o feito não podia ser de outro modo, o cão virou herói do local e logo a notícia e inclusive o vídeo, correu o mundo pelos noticiários de TV e jornais. A família, muito agradecida, recebeu o prêmio junto com o herói: uma tigela de aço inoxidável gravada com palavras de apreço ao animal herói. Buddy também recebeu um grande osso de couro cru e seus donos uma carta emoldurada documentando seus esforços. - Se não fosse por ele, teríamos perdido nossa casa – disse Ben Heinrichs com voz embargada durante a cerimônia.

Ben Heinrichs esclareceu depois que estava trabalhando em peças para seu caminhão quando uma faísca atingiu o tanque de gasolina que pegou fogo e atingiu sua roupa. Ele então correu para fora e rolou na neve para apagar o fogo e fechou a porta para conter o incêndio. Percebeu que Buddy ainda estava dentro do prédio. Para poder deixar o cão sair sofreu queimaduras leves no rosto e de segundo grau na mão esquerda. Do lado de fora, assim que Heinrich disse – preciso de socorro – o cão saiu em disparada até regressar com os policiais. Mais tarde o policial também afirmou – Ele não estava fugindo de mim, mas apenas me levando. (Fonte: Daily Mail) Leonardo Bezerra

Veja o vídeo em que Buddy conduz o carro da polícia em direção ao incêndio

Cães que ajudam a salvar vidas disputam título de herói no Reino Unido

Do UOL Notícias
Em São Paulo
A história de que o cão é o melhor amigo do homem não é novidade. Enquanto para uns, esses animais são apenas companheiros para momentos de lazer, em outros casos, eles tornaram-se heróis por salvar – ou deixar mais fácil – a vida de seus donos. E são essas histórias que “Friends for Life” (“amigos para a vida”), promovido pela “Crufts”, maior exposição de cães do mundo, que acontece no Reino Unido, vai premiar.
A exposição Crufts, que está em sua 6ª edição, começa nesta quinta-feira (10), na cidade britânica de Birmingham.
Os cinco cães finalistas, de acordo com a organização do evento, “foram selecionados pela sua bravura e devoção aos donos”. O vencedor será escolhido pelo público, que poderá votar pelo telefone em sua história preferida.

Cães heróis disputam prêmio no Reino Unido

Foto 5 de 5 - Rebecca e Shirley - A labradora Shirley tem como principal missão observar todos os passos de Rebecca, 7. A garota tem diabetes do tipo 1 e Shirley deve observar qualquer indicador de que a garota possa ter um ataque de hipoglicemia, o que poderia levá-la ao coma Mais Divulgação
Uma delas é Kaiser, um cão de assistência que ajuda sua dona, Joanne Day, portadora de distonia, um distúrbio neurológico que provoca espasmos musculares e deixa o corpo contorcido. Além de companheiro, o cão a ajuda em tarefas diárias.
No caso da labradora Shirley, sua principal missão é observar todos os passos de Rebecca, 7, e notar qualquer indicador de que a garota, que tem uma diabetes agressiva do tipo1, esteja tendo um ataque de hipoglicemia, o que poderia levá-la ao coma.
GraceBrown-Griffin, 10, viu sua vida mudar com a chegada do cão de apoio Merlin. Grace é autista e tem dificuldade em se concentrar e de lidar com situações de estresse.
Já os cães Jake e Echo foram indicados pelo seu desempenho em duas tragédias.
O cão farejador Jake, da polícia metropolitana de Londres, foi um dos integrantes da equipe de resgate após os atentados ao metrô em julho de 2005, enquanto o labrador Echo, da equipe dos bombeiros de Manchester, foi enviado ao Haiti após o terremoto que abalou o país em janeiro de 2010. Foi ele quem ajudou a salvar uma menina chamada Mia, encontrada com vida sob os escombros de uma escola de jardim de infância.
“Os cães nomeados neste ano nos lembram o que faz o relacionamento entre cães e homens tão especial. Cada um dos finalistas tem ajudado a mudar e salvar vidas, e podem nos ensinar uma lição sobre companheirismo, lealdade e bravura”, diz a porta-voz do evento, Caroline Kisko.


Jambo, o gigante gentil.
Como no caso anterior, num descuido dos pais da criança, o menino debruçou-se e caiu no fosso onde vivia Jambo, um gorila dorso prateado (macho alfa) com sua família: fêmeas, filhotes e adolescentes.
A princípio Jambo correu e colocou-se cima da criança para que os outros gorilas não se aproximassem dele. Em seguida, sentou-se e começou a fazer carinho no menino, como pode ser visto na foto da esquerda. Depois, sentou próximo e não deixou que um jovem gorila adolescente muito curioso se aproximasse demais. Quando a criança começou a acordar e chorar alto, ele simplesmente chamou sua família para entrarem no recinto fechado onde passam as noites que foi imediatamente trancado. Apesar de um dos adolescentes não ter entrado e ter dado muito trabalho aos tratadores que pularam no fosso para resgatar a criança, o menino se salvou.
Anos após o fato (ocorrido na década de 80), o menino já rapaz, financioou a construção de uma estátua em homenagem a Jambo, já falecido, no zoológico de Jersey na Inglaterra.
Ele ficou conhecido como Jambo, o gorila gentil.

Conheça as histórias de cães que se tornaram heróis

Animais de raça e até mesmo vira-latas viram feras quando os donos estão em perigo.
Alguns recebem homenagens, como Salomão, o cachorro que ganhou memorial em SP.
Claudia Silveira Do G1, em São Paulo
Tamanho da letra
Nerivelton Araújo
O corajoso poodle Beethoven avançou contra um pit bull para salvar o dono (Foto: Nerivelton Araújo/AAN)
Animais de estimação têm lugar garantido na casa de seus donos, mas alguns acabam conquistando a afeição até de desconhecidos. É o caso de cachorros valentes que enfrentam qualquer coisa – até mesmo um cão com o dobro da força e do tamanho – para defender o dono ou a família inteira.

O poodle Beethoven ficou famoso em Campinas, cidade a 95 km de São Paulo, após ter enfrentado um pit bull, em junho, para impedir que a família do guarda municipal Paulo de Sá fosse atacada pelo animal que invadiu a casa. A briga entre os cães foi apartada pelo guarda e Beethoven ficou gravemente ferido. Mas, rapidamente, o poodle se recuperou e virou o xodó da família. “Eu considero Beethoven um herói porque, se não fosse ele, o pit bull poderia ter atacado qualquer pessoa, até uma criança”, afirma o dono.


Foto: Carolina Iskandarian/G1
Anny e Dara trabalharam na cratera do metrô e nos destroços da TAM (Foto: Carolina Iskandarian/G1)
Heroínas também são as cadelas da raça labrador Anny e Dara, do Corpo de Bombeiros, que se aposentaram com honras depois de oito anos de serviço. As duas participaram de inúmeros salvamentos no Brasil, incluindo o resgate da primeira vítima de desabamento a ser localizada com vida, em 2000.

Os cães da raça de Anny e Dara são considerados mais protetores, segundo o veterinário Rodrigo Caldas. Não é à toa que ele mesmo tem um desses em casa. Mas o especialista pondera: “isso depende muito do instinto do animal, não há uma regra”. Ele aponta que cães de grande porte, como o pastor alemão e o golden retriever, são mais suscetíveis à proteção e defesa.


  Orgulho
Para a empresária Adriana Sandonati, dona de um cemitério para animais de estimação na Grande São Paulo, só há um herói no mundo: o cocker spaniel Set, que foi resgatado da rua por ela quando ainda era um filhote.

Adriana conta que, há cinco anos, estava dirigindo com Set no carro quando foi abordada por um motoqueiro que anunciou o assalto e enfiou a mão pela janela da motorista. Segundo Adriana, o cachorro mordeu a mão do assaltante, que se afastou do carro. Não satisfeito, Set pulou para fora do carro pela janela e foi em cima do assaltante. “Nessa hora, ele foi atropelado por um carro”, relembra, Adriana, emocionada.


Foto: Divulgação
Cachorro Set morreu após defender dona de assalto (Foto: Divulgação)
“Aconteceu tudo muito rápido, mas até hoje sou orgulhosa por ele ter me protegido”, afirma. Por ter se sacrificado para salvar a dona, Set ganhou um porta-retrato em local visível na recepção do cemitério.


  Monumento na praça
O vira-lata Salomão era um cachorro sarnento e faminto que perambulava pela Praça Oscar da Silva, na Vila Guilherme, Zona Norte da capital paulista, quando foi adotado pelo caminhoneiro Valdir Macedo de Carvalho. O animal recebeu carinho e cuidados médicos, se recuperou das doenças, ganhou peso e virou mascote dos moradores da localidade.

“Oficialmente, ele era meu, mas não adiantava criar ele dentro da minha casa porque, toda vez que eu abria o portão, ele escapava e ia para a praça”, relembra o motorista. Com esse espírito livre, Salomão fez amizade com adultos e crianças e costumava acompanhá-los pela rua. Mas em um desses passeios, em 2004, ao seguir o barbeiro José Augusto Pires Neto, Salomão foi atacado por um rottweiler que fugiu da casa onde morava. O vira-lata não resistiu aos ferimentos e morreu.


Foto: Claudia Silveira/G1
Vizinhos da Praça Oscar da Silva, onde vivia o cachorro Salomão, criaram uma espécie de memorial após a morte dele (Foto: Claudia Silveira/G1)
A comunidade ficou tão abalada com o ocorrido que decidiu não esquecer Salomão. Menos de um mês depois, o cachorro ganhou um memorial na praça onde freqüentava. Carvalho acredita que Salomão foi herói por ter salvado o amigo barbeiro do ataque do cachorro feroz. “O cachorro poderia ter acatado o homem também”, diz.

Mesmo depois que quatro anos se passaram, os frenquentadores da praça não esquecem o vira-lata. Chegando lá, é só perguntar onde fica a homenagem, que sempre tem alguém que conhece a história de Salomão, mesmo quem foi morar no bairro depois que o cachorro morreu, como o aposentado Antônio Joaquim Esteves. “Vim morar na Vila Guilherme no mesmo mês que Salomão morreu, e tenho carinho por ele mesmo sem tê-lo conhecido”, revela o aposentado que ajudou a reportagem a localizar o memorial em homenagem a Salomão.
historias de animais herois
Monumento na praça
O vira-lata Salomão era um cachorro sarnento e faminto que perambulava pela Praça Oscar da Silva, na Vila Guilherme, Zona Norte da capital paulista, quando foi adotado pelo caminhoneiro Valdir Macedo de Carvalho. O animal recebeu carinho e cuidados médicos, se recuperou das doenças, ganhou peso e virou mascote dos moradores da localidade.

“Oficialmente, ele era meu, mas não adiantava criar ele dentro da minha casa porque, toda vez que eu abria o portão, ele escapava e ia para a praça”, relembra o motorista. Com esse espírito livre, Salomão fez amizade com adultos e crianças e costumava acompanhá-los pela rua. Mas em um desses passeios, em 2004, ao seguir o barbeiro José Augusto Pires Neto, Salomão foi atacado por um rottweiler que fugiu da casa onde morava. O vira-lata não resistiu aos ferimentos e morreu.



Vizinhos da Praça Oscar da Silva, onde vivia o cachorro Salomão, criaram uma espécie de memorial após a morte dele (Foto: Claudia Silveira/G1)
A comunidade ficou tão abalada com o ocorrido que decidiu não esquecer Salomão. Menos de um mês depois, o cachorro ganhou um memorial na praça onde freqüentava. Carvalho acredita que Salomão foi herói por ter salvado o amigo barbeiro do ataque do cachorro feroz. “O cachorro poderia ter acatado o homem também”, diz.

Mesmo depois que quatro anos se passaram, os frenquentadores da praça não esquecem o vira-lata. Chegando lá, é só perguntar onde fica a homenagem, que sempre tem alguém que conhece a história de Salomão, mesmo quem foi morar no bairro depois que o cachorro morreu, como o aposentado Antônio Joaquim Esteves. “Vim morar na Vila Guilherme no mesmo mês que Salomão morreu, e tenho carinho por ele mesmo sem tê-lo conhecido”, revela o aposentado que ajudou a reportagem a localizar o memorial em homenagem a Salomão.

CÃO-GUIA, HERÓI ANÔNIMO EM DEFESA DO HOMEM

19/04/09

Considerado como o melhor amigo do homem, o cão não só é amigo como muitas vezes protetor e guia permanente 24 horas por dia. É o caso do cão-guia, um animal treinado especialmente para acompanhar seu dono em todos os momentos, em casa, na rua, no trabalho e em qualquer outra parte. Nesse caso, sendo seu dono cego ele age como seus olhos e, portanto deve estar sempre junto ao dono. É para o cão toda uma vida de total dedicação ao dono. Por sorte, é mesmo o que um cão mais sonha estar do lado do dono. Além do mais são cães especialmente treinados.
História
A história desses animais extraordinários, cuja paciência e fidelidade ultrapassam todos os limites é antiga. Os primeiros registros da presença de cães-guias encontram-se pintados em um mural nas ruínas de Roman Herculaneum, hoje cidade de Ercolano na Itália. Há alguns outros registros de sua presença na idade média, mas as primeiras tentativas de treinamento desses animais só aconteceram por volta de1780, no Hospital para cegos “Lês Quinze-Vingts” em Paris.

No Brasil um dos primeiros cães-guias foi o labradar Gem que nasceu na Guide Dog Foundation for the Blind, em Nova York em 1996 e faleceu no Rio de Janeiro depois de vários anos de serviços prestados à sua dona a professora Ethel Rosenfeld, uma ativista pelos direitos dos deficientes visuais. O referido cão tornou-se símbolo na implantação de uma cultura de cães-guias no Brasil.
Este labrador usado nas campanhas para a aprovação da lei federal que garante às pessoas cegas acompanhadas de seus cães entrarem ou permanecerem em locais públicos ou particulares de uso coletivo esteve presente na cerimônia de assinatura do Decreto em 21 de setembro de 2006. Pode ainda ficar imortalizado na Calçada da Fama Animal, em Washigton quando foi eleito “cão herói” do Brasil em 2004.
Raças especiais para cães-guias
As raças que possuem características, como temperamento, tamanho e outras importantes para essa atividade, portanto usados no mundo todo são: labrador, golden retriever, collie de pêlo longo ou curto, boxer, bouvier dês flandres e pastor alemão. Sendo que os treinadores sempre avisam que o que importa não é a raça, mas sim o cão.
Os cegos que não se adaptam ao uso de bengalas recorrem ao cão-guia. Neste caso, deverá haver uma perfeita adaptação. Os cães são treinados desde pequenos, mas há um treinamento de adaptação com seu novo dono que também terá que saber como utilizar adequadamente o animal.No caso do cego que opta pelo uso de cães, este se sentirá bem mais a vontade que com o uso de bengalas. O cão vê os obstáculos acima da cintura e percebe o movimento do tráfego no caso de atravessar a rua. Além do mais os aspectos psicológicos são positivos, pois o animal é estimo de companhia, carinho, confiança, combate a solidão e integra o cego à sociedade permitindo que este possa fazer praticamente de tudo. Para o cão, apesar de estar quase sempre ao lado do dono, é sempre ativo e parece gostar mesmo do que faz. Claro que ele também tem seus momentos de folga e de descanso.
A criação
Esses animais são criados desde pequenos com essa finalidade. Para isso são escolhidos entre filhotes que não sejam nem tímidos nem demasiado líder, isto é fundamental para que tudo dê certo no final. O animal então é mantido em diversas situações, convivência com pessoas e com outros animais, lugares diferentes e barulhentos, aprendem andar na rua, fazer necessidades nos locais certos e muitas outras coisas.
Treinamento
Para essa finalidade não importa o sexo do animal, pois serão castrados. Seu treinamento inicial que começa logo nos primeiros dias de vida é o contato com pessoas, animais e situações diversas e inusitadas. No terceiro mês começa a obediência básica como sentar, deitar, andar junto, etc. e no sétimo mês a obediência avançada; caminhada pelas ruas, obstáculos de altura e largura e travessia de sinais de tráfego. Com um ano o animal inicia o treinamento de inteligência que é o mais difícil, ou seja, o cão tem que desobedecer a uma ordem dada pelo dono, ao verificar o perigo e agir na situação usando sua própria inteligência para tirar o dono da situação de perigo. Nesse caso o dono deve estar preparado para ter total confiança no animal.
Além do treinamento, o animal deve estar preparado para conviver pacificamente em família, com crianças, com outros animais, na rua e sempre sem nunca desconcentrar-se no que está fazendo. Com todas essas qualidades, pode-se observar que o cão-guia é mesmo um animal sensacional.
Tempo de trabalho
O cão-guia é utilizado pelo cego durante oito anos. Na Europa, depois desse período, é doado para alguma família para curtir sua aposentadoria enquanto seu dono utiliza um mais jovem. No Brasil o cão aposentado permanece com seu dono, devido aos laços afetivos, este não sabe separar-se de seu animal mesmo usando outro para sair às ruas.
Do ponto de vista da defesa dos animais, apesar de que aparentemente se trata de um trabalho para o cão, o que não deveria acontecer, no caso do cão-guia, devido ao seu apego ao dono, parece não ser exatamente um trabalho, mas um prazer para o animal. Deve-se levar em conta também que são animais de porte grande, que precisam exercitar-se com freqüência, então essas caminhadas levando o dono para os mais diferentes lugares pode ser uma boa solução. Além do mais gozam de grande respeito e admiração

domingo, 15 de julho de 2012

MUITAS vezes as pessoas ficam admiradas ante os atos instintivos dos animais. Atribuem aos animais um sentido especial, que aos seres humanos falta por completo ou deixaram que se atrofiasse.

Aos seres humanos é inexplicável, quando, por exemplo, observam que um cavalo, um cão ou qualquer outro animal, habituado talvez a percorrer diariamente um caminho, de repente, em determinado lugar, se recuse a prosseguir, e quando depois vêm a saber que logo em seguida, exatamente naquele lugar, ocorrera um acidente.

Desse modo a vida de uma ou mais pessoas foi muitas vezes salva. Há tantos desses casos, conhecidos em geral por todos, que não é especialmente necessário entrar aqui em pormenores.

A humanidade cognominou instinto, pressentimento inconsciente, a essas qualidades do animal. Tão logo ela tenha um nome para uma coisa, geralmente já se dá por satisfeita, forma qualquer idéia a respeito e se contenta com isso, pouco importando se seu pensar sobre isso seja certo ou não. Assim, também aqui.

O motivo para tais ações do animal é, no entanto, totalmente outro. O animal não possui a propriedade e nem a capacidade daquilo que o ser humano entende por instinto! Nesses acontecimentos apenas obedece a uma advertência que lhe é dada. Essas advertências o animal consegue ver muito bem, ao passo que apenas por poucas pessoas elas podem ser notadas.

Conforme já esclareci numa dissertação anterior, a alma animal não provém do espiritual, como a criatura humana, mas do enteal. Da parte enteal da Criação originam-se também os seres elementares: gnomos, elfos, ondinas, etc., que têm sua atuação naquela parte que os seres humanos sempre chamam natureza, portanto, água, ar, terra, fogo. Do mesmo modo aqueles que se ocupam com o desenvolvimento e o crescimento das pedras, plantas e outras coisas. Esses todos, porém, originam-se de uma parte do enteal, diferente aquela das almas animais. Todavia, a sua mútua afinidade na igual espécie de origem acarreta a possibilidade de maior reconhecimento recíproco, de forma que um animal tem de reconhecer categoricamente melhor essas criaturas enteais, do que o ser humano o conseguiria, cuja origem se encontra no espiritual.

Os seres elementares sabem, pois, muito bem onde e quando ocorrerá uma alteração na natureza, tais como desmoronamentos, avalanches, queda de uma árvore, o ceder do solo motivado pela ação erosiva das águas, ruptura de diques, irrompimento de águas, erupções vulcânicas, maré alta, terremotos e tudo o mais que a isso pertença, uma vez que eles próprios se ocupam com isso, preparando e realizando tais alterações, as quais os seres humanos denominam acidentes e catástrofes.

Se for de se esperar um tal acontecimento imediatamente, pode suceder que um animal ou uma pessoa que se aproxime seja advertida por esses seres elementares. Antepõem-se no caminho, procurando, por meio de gritos e gesticulações, ou mesmo por repentinas impressões sobre os sentidos, provocar o retorno; o animal se assusta, eriça o pêlo e se recusa energicamente a prosseguir, contrariando completamente o seu costume normal, de modo que, muitas vezes, mesmo o animal mais bem adestrado nega, excepcionalmente, obediência ao seu dono. Esse o motivo do estranho comportamento do animal em tais casos. Mas o ser humano não vê esses seres elementares e por isso segue, muitas vezes, ao encontro do perigo, no qual perece ou fica gravemente ferido.

Por isso o ser humano devia observar mais os animais, a fim de aprender a compreendê-los. O animal tornar-se-á então realmente amigo da criatura humana, pois consegue preencher lacunas e com isso tornar-se ainda muito mais útil ao ser humano do que até agora.

Fonte: Graal




Cão salva dona de ser esmagada !







Valerie Smith, 61, estava andando com seu collie Tommy de 9 anos na calçada perto de sua casa quando o animal parou de repente.

A Sra. Smith, que é parcialmente surda, disse que o cão parou e olhou fixamente as árvores. Então girou no sentido dela e começou a latir, coisa que não é nem um pouco do feitio de Tommy. "eu puxei ele para continuar andando e ele rosnou para mim" disse. "e parou naquele lugar e não queria continuar de jeito nenhum, como se dissesse: ' fique aqui '."

Segundos depois uma árvore enorme caiu sobre a calçada, muito perto da Sra. Smith que arranhou seu braço direito.

"eu tomei um baita susto quando vi a árvore, que tinha aproximadamente cinco metros de comprimento," disse.

"Tommy pode obviamente ouvi-la, ele sabia que ela ia cair."

"Eu acho que o que ele fez é absolutamente incrível" ela disse.



Elefante salva menina de 8 anos do tsunami







Uma menina de oito anos que sobreviveu ao maremoto na Ásia contou como um elefante de quatro anos salvou a vida dela.

Enquanto as ondas avançavam e com água até os ombros, Ningnong correu para uma parte mais alta da praia, levando Amber para um lugar seguro.

De volta para csa, Amber contou que se sentia muito sortuda por ter sido salva por Ningnong.

"Acho que Ningnong sentiu que alguma coisa estava errada e estava tentando sair da praia", disse Amber.

A mãe de Amber, Sam, acredita que Ningnong foi decisivo para que a vida da filha fosse salva.

"Se ela estivesse na praia sozinha ou conosco, ela não teria sobrevivido. O elefante levou o impacto da onda", disse ela.



Cachorro salva a vida de bebê no Quênia






Um cão de rua que procurava por comida salvou a vida de um bebê abandonado em uma floresta no Quênia. A cadela levou a criança para junto de seus filhotes, segundo informaram hoje testemunhas.

O animal carregou o bebê de 3 quilos através de uma movimentada estrada em Nairóbi e atravessou uma cerca com arame farpado em um bairro pobre perto da floresta de Ngong, contou Stephen Thoya ao jornal Daily Nation.



Cachorro salva três alemães de incêndio






Um cão guia salvou a vida de três pessoas em um prédio em chamas, latindo alto e mostrando o caminho para os sobreviventes.

"O cão percebeu a fumaça e o fogo primeiro e puxou as cobertas de um homem de 42 anos que dormia num sofá e acordou um casal também, de 45 e 47 anos, no quarto, latindo bem alto", disse o porta-voz da polícia Hartmut Labahn.

O incêndio aconteceu no segundo andar de um apartamento em Zirchow, na ilha do Báltico de Usedom.

"Todo o andar estava em chamas quando eles pularam pela janela, mas o cachorro infelizmente não pulou e morreu queimado", disse. "Havia tanta comoção que as pessoas esqueceram que o cão não tinha pulado. Eles ficaram gritando o seu nome, mas não adiantou."

O porta-voz disse que o cachorro "pode ter ficado com medo de pular".



Cachorro salva criança de bote de jararaca no Rio






A criança brincava sozinha no quintal de casa, em Santa Tereza, e foi salva pelo cão de estimação Brutus, cruzamento de pastor alemão com rottweiler.

Da janela da cozinha, a mãe, Flávia Pereira de Almeida, ouviu o cão grunir e o filho gritar. Com outros dois filhos em casa, um com 12 anos e outro com 10, e sentindo-se incapaz de conter a cobra, Flávia acionou a equipe do GDA, com sede nas proximidades.

Ao chegarem, os guardas se depararam com o cão já agonizando e a cobra tentando dar o bote em Miguel. Agindo rápido, os GMs conseguiram capturar a jararaca e salvar a criança. A equipe da Guarda Municipal tentou ainda reanimar o cão enquanto acionava o Corpo de Bombeiros. Os guardas também consolaram mãe e filho e se preocuparam em retirar a cobra do local, colocando o réptil em uma cesta e levando-o para a sede do grupamento. O cachorro recebeu uma injeção de soro anti-ofídico e foi levado de volta para casa. A jararaca será levada ao Zoológico de Niterói.

Com 86 guardas por dia, o GDA atua no patrulhamento de mirantes, parques e Floresta da Tijuca, onde é responsável por controlar a presença de excursionistas, fazer o acompanhamento por trilhas e prestar orientações variadas. Além de auxiliar a segurança de visitantes, do patrimônio e de inibir ações de vandalismo à natureza, o grupo reforça ações surpresas do Ibama contra caçadores. Inúmeros materiais de caça foram apreendidos e mais de 100 acampamentos de caçadores já foram descobertos e destruídos.



Cachorro salva a dona ao ligar para emergência








Um cachorro americano salvou sua dona ao ligar para o 911, o número do serviço de emergência dos EUA.

Faith, uma rottweiler de 4 anos, chamou socorro depois que Leana Beasley, 45, que sofre de epilepsia, teve um ataque.

De acordo com os atendentes, ela ficou latindo ao lado do telefone insistentemente até que a localização da casa fosse identificada.

O policial que atendeu ao chamado, disse que Faith a esperava na porta quando ele chegou e o levou até sua dona, que estava desacordada.



Tsunami mostra que animais têm "sexto sentido"








As autoridades que cuidam da fauna no Sri Lanka anunciaram que, apesar da perda de milhares de vidas humanas no maremoto que atingiu o sul da Ásia, não há registro de mortes entre animais.

Ondas gigantescas entraram até 3,5 quilômetros terra adentro na maior reserva ecológica da ilha, onde existem milhares de animais.

Vários turistas se afogaram na reserva, mas, para surpresa das autoridades, não foi encontrado nenhum animal morto. O fato ressaltaria teorias de que os animais podem ter um "sexto sentido" em relação ao perigo.

"Deve ter havido vibração e pode ter havido também mudanças na pressão do ar que alertaram os animais e fizeram com que eles fossem para outros lugares onde se sentiam mais seguros". Há muitos relatos de testemunhas de aves e animais migrando antes de terremotos e erupções vulcânicas, disse Debbie Marter, que trabalha em um programa de proteção de tigres selvagens na ilha de Sumatra, na Indonésia, uma das áreas mais atingidas pela catástrofe.



'Cão-PM' de Bauru vai se aposentar










Marcelo Ferrazoli
Do Jornal da Cidade de Bauru

Foram seis anos de serviços prestados à Polícia Militar (PM) e, principalmente, à comunidade bauruense, mas agora chegou a hora dele parar.

Trata-se de "Beethoven", um dos melhores e mais eficientes cachorros integrantes do Canil da PM que vai aposentar-se de suas funções na corporação.

Treinado desde "filhotinho" pelo experiente instrutor Oséas da Silva, "Beethoven" é um belo e imponente rottweiler que durante três anos consecutivos figurou no ranking brasileiro dos seis melhores do País devido à sua atuação como "cão de polícia".

Verdadeiro companheiro. Prova disso, conta o adestrador, é que o cachorro já salvou sua vida durante uma rebelião, ocorrida há cerca de três anos, em uma das penitenciárias de Bauru.

A eficiência de "Beethoven" na "caça" a criminosos também ficará para sempre na memória do adestrador, que lembra de um fato marcante. "Durante uma varredura em uma casa abandonada, eu o soltei e ele parou deitado próximo a uma escada, impedindo-nos de subir por ela. Foi quando descobrimos a existência de duas pessoas no local, que estavam fortemente armadas mas foram convencidas a se entregar", conclui Oséas..



Cachorro da família salva menino indiano








O vira-lata Selvakumar salvou o filho mais velho de uma família indiana quando o maremoto chegou à casa deles, em Chinnakalapet. A mãe da família carregou os dois filhos mais novos e gritou para Dinakaran, 7, que corresse.

O menino foi para uma cabana à beira-mar. Foi resgatado pelo animal de estimação, que, quando a água já entrava no refúgio, puxou o menino, mordendo a manga de sua camisa.



Vira-latas protegem policiais indianos contra rebeldes








"Os cachorros patrulham, e quando começam a latir temos um alerta e acendemos nossa lanterna", disse um policial.



Pit Bull deu a vida para salvar dono








Corri para tentar livrá-lo das abelhas, mas ele não deixava que me aproximasse, impedindo, assim, que as abelhas me atacassem também”, contou Tiago. “Mesmo assim, os insetos vieram para cima de mim e o Thor veio me ajudar. Puxou meu moletom até que as abelhas saíssem. Mesmo assim, recebi picadas por todo o corpo e muitas delas ficaram presas ao meu cabelo que tive que cortar”, contou ele.

Os Auxílios do Alto...
Milagres no Tsunami da Ásia






por Carlos Pippi

O misterioso atuar das leis da Criação revelam que acima da pequenez humana, há uma sabedoria dirigindo os acontecimentos mostrando a grandeza do Criador. Pequenos milagres surgem no meio da tragédia.

Coelho de estimação salva vida de grávida








Um coelho de estimação salvou a vida de uma mulher grávida, segundo o marido dela, em Illinois, nos Estados Unidos.

Ed Murphy contou que perdeu o sono porque o animal estava estranhamente agitado e fazia um barulho ensurdecedor. O homem se levantou e tentou resolver o problema colocando protetores de som na gaiola.

Quando Murphy voltou ao quarto, percebeu que a mulher não estava passando bem por estar "dormindo profundamente com os olhos abertos".

Darcy Murphy foi levada ao hospital, onde esteve por cinco dias recebendo tratamento por uma diabetes gestacional, espécie de intolerância a carboidratos que pode ocorrer durante a gravidez.

A obstetra de Murphy credita ao coelho a sobrevivência da mulher grávida, que deu luz à criança, Brenda, no dia 13 de junho.



O melhor amigo do homem








Marco Antonio Fernandes que cria cães fala sobre o convívio entre homens e as diferentes raças

“Não há cão , e sim dono assassino. Leis assim punem o animal e não o seu proprietário, verdadeiro responsável por qualquer acidente que possa haver.” Para minimizar o problema, Marco sugere que se exija a adoção obrigatória de um regulamento de criação desenvolvido pelos clubes de criadores como única forma de obtenção do pedigree. Ele ainda frisa:
- Nestas horas ninguém lembra que alguns destes cães são muito úteis em salvamentos. O rottweiler, por exemplo, é bastante utilizado pela Cruz Vermelha Internacional, polícia e exército em todo o mundo.
Em janeiro, graças a um cão desta mesma raça, um bebê abandonado foi encontrado numa lata de lixo em Curitiba.



BARRY, O SÃO BERNARDO








1800-1814 - "Durante doze anos, trabalhou e desempenhou fielmente a sua tarefa com os desaventurados. Ele salvou mais de quarenta pessoas ao longo de sua vida. Desenvolvia uma atividade extraordinária. Nunca foi preciso forçá-lo ao trabalho. Sempre que percebia que havia alguém em perigo, corria em sua ajuda; se sozinho não podia fazer nada, voltava ao convento para pedir ajuda com latidos e diferentes atitudes. A sua façanha mais conhecida foi, sem dúvida, o salvamento de um garoto, a quem despertou lambendo e que levou até o albergue carregado nas costas.



A saída
Bombeiros de São Paulo utilizam cão em salvamento e busca de vítimas soterradas








O 1º Grupamento de Bombeiros de São Paulo, localizado no bairro do Ipiranga, vem obtendo excelentes resultados nas ocorrências de busca e salvamento, por meio do Ecos (Emprego de Cães em Operações de Salvamento), que, além de garantir economia de tempo durante as ocorrências, pode salvar muitas vidas.O Ecos conta, inclusive, com viatura especial para transportar os cães do batalhão até o local da ocorrência. “É impressionante a disposição dos cães para o trabalho. Basta encostarmos a viatura em frente do canil aberto que eles ficam eufóricos. Logo pulam para o seu interior e esperam a partida do veículo”, complementa o cabo Lauro Francisco Silva, oficial responsável pelo canil.



A HISTÓRIA DO SÃO BERNARDO






O São Bernardo sente pelas crianças um carinho muito especial e uma grande devoção; compreendo-os como ninguém, tornando-se assim como seu inseparável protector e irmão mais crescido. Muito cuidado para quem tenha a ousadia de tocar no seu protegido. É um cão afectuoso, um brincalhão por natureza, equilibrado, tranquilo, algo teimoso, que se sente cachorro toda a sua vida. Considera-se mais um membro da família e quer que seja tratado como tal. Nós que temos São Bernardos sabemos por experiência própria que o instinto próprio destes cães É de defender, protejer, socorrer o seu proprietário e família. Se pensar alguma vez entrar num território confiado a um São Bernardo pense duas vezes, não confie na sua expressão de bondade. Só ataca em casos extremos, é uma raça essencialmente criada para socorrer o ser humano. O São Bernardo sente-se superior às demais raças e o mais forte de todos os cães e dificilmente procura o confronto, não tem rival.



Dara, cão de resgate, Cão Herói 2005






Os cães usados em salvamentos desempenham um papel tão importante na ajuda ao ser humano que já começam a ser reconhecidos. A cadela Dara, uma labradora que auxilia o 1º Grupamento do Corpo de Bombeiros de São Paulo em deslizamentos de terra com vítimas, foi a vencedora do Concurso Cão Herói 2005, promovido pela Pedigree, no Brasil.

Sob a coodenação de Marcelo Caruso, cursos de salvamento e resgate com cães são ministrados pela 1a. União de Montanhistas - RADA/RAR. O objetivo é formar treinadores, militares ou voluntários, e seus cães.

"Seu cão pode ajudar a salvar uma vida, você já pensou nisso?"



Cachorro Salva Vida nas Torres Gêmeas do World Trade Center em Nova York, Dia 11 de Setembro de 2001






O terror começou a apoderar-se dele, mas ele absolutamente recusou-se a ceder, por causa de Roselle, ele não podia perder o comando. Atenção! Atenção! A dupla chegou a uma estação subterrânea de estacionamento, onde outros estavam para protegerem-se da poeira. Eu não posso ver, eu não posso ver, gritava uma mulher temporariamente cega pela poeira. Hingson seguiu sua voz e a encontrou, e segurou seu braço. Não se preocupe disse ele. Eu sou cego e tenho um cão guia chamado Roselle e ela vai tomar conta de nós dois. Eles continuaram a seguir a pé em direção a cidade, para fora do local do desastre, quando a mulher recuperou a visão. Cerca de 10 minutos depois, uma segunda explosão, uma nova cachoeira de metais e concreto, que Hingson instintivamente sabia ser a torre norte caindo, e da qual ele e Roselle tinham escapado por pouco.



O cão levantou-se e, muito nervoso, saiu do escritório.





Em seguida, o edifício começou a estremecer“, contou o sobrevivente do atentado terrorista mais cruel da história dos Estados Unidos. Salty estava ao seu lado no escritório. O cão levantou-se e, muito nervoso, saiu do escritório. O que se escutava era o ruído dos pedaços de vidro que caíam. “Devido à insistência do cão, algo me disse que era momento de me mandar. Coloquei então sua cabeça no arreio (uma espécie de cabresto) - que é o ritual que se tem que fazer para que o cão possa conduzir o cego - e assim se iniciou a marcha”, disse o cego, que imaginava que o impacto do avião tinha sido uns seis andares acima. e levou cerca de uma hora e quinze minutos.Tivemos muitas dificuldades e havia muita confusão. Acima, havia muita fumaça e odor de combustível. Algumas pessoas tratavam de lutar para ficarem à frente das pessoas que fugiam. Havia muito pânico Mas na realidade considero que todos estavam muito prudentes” Ao sair da torre, recorda Omar, o edifício número dois, na parte sul, começou a desmoronar. Havia muitas pessoas pedindo ajuda. Escutavam-se os estampidos das paredes quebrando e os gritos das pessoas. E justo quando saímos, os 110 andares desmantelou-se como se fossem castelos de cartas. Eu sabia, em meu coração, que o edifício ia cair; era tudo uma questão de tempo.No 64º ou 65º andar, Enrigt tentou tirar a correia de Salty para agilizar o passo, porém o cão se negou a seguir sem a guia e Rivera teve que acalmá-lo.



CACHORRO SALVA CRIANÇAS DE ATAQUE DE PIT-BULLS





Segundo informação da Secretaria de Segurança Pública, um casal de cães da raça pit- bull escapou do local em que vivia e invadiu o quintal onde as crianças brincavam. Acuadas, elas correram para o capô de um carro estacionado no local. Quando estavam prestes a ser alcançadas, "Princesa" desviou a atenção dos pit-bulls, que a destroçaram.



Cadela Lassie salva fazendeiro de 90 anos






Lassie foi resgatar o dono em apuros e tentou manter seu dono aquecido.
Quando escureceu, a esposa de Crowther foi procurá-lo na floresta, mas não conseguiu ouvir o choro do marido. O instinto de herói de Lassie apareceu nesse momento, que fez jus ao nome.
"O cachorro correu até a minha esposa, que disse: 'onde está George?'", contou o fazendeiro. "E ela (Lassie) levou minha mulher até o local que eu estava".

Um homem que escorregou na banheira e ficou preso durante seis dias disse que deve sua vida à sua leal cadela, Libby.





A cadela, então, manteve o dono vivo lambendo seu rosto e batendo com as patas no chão para evitar que ele ficasse inconsciente.

"Durante todo o tempo que passei na banheira, ela fazia joguinhos comigo para que eu não desanimasse", disse Ashworth ao jornal local, o Rocky Mountain.


A cadela beagle Belle que faz ligação de celular e salva seu dono de um grave surto diabético,foi premiada nesta semana





SÃO PAULO - No dia 7 de fevereiro, Kevin Weaver teve convulsões e desmaiou após um grave surto diabético e só não foi desta para melhor porque a sua cadela, Belle, uma beagle treinada especialmente para vigiar o dono, foi capaz de ligar a partir do celular de Weaver, ´mordendo´ a tecla 9, que acionou o serviço de emergências médicas.


Lições de Amor





Aqui seguem pequenas histórias que relatam lições de amor que os animais nos ensinam. Vale a pena ler e aprender com eles!!!


Gato salva vida de menino recém-nascido na Alemanha





BERLIM (Reuters)

Um gato salvou a vida de um recém-nascido abandonado na entrada de uma casa na cidade de Colônia, na Alemanha. O gato miou alto até que alguém acordasse, informou um porta-voz da polícia neste sábado.


Cão da raça boxer salva garota de ataque de pitbull





[09.08.2006] Um cachorro da raça Boxer salvou a vida de uma menina de quatro anos em Uberaba (MG) ao se atracar com um Pitbull.

Killer partiu para o enfrentamento quando o Pitbull estava a menos de dois metros de distância da garota. O cachorro ficou bastante ferido com o ataque do Pitbull, mas passou a ser o herói da vizinhança.


Estes valem a pena ver !!!!





O site do Pet Feliz também selecionou pequenas histórias. Vale a pena ler!!!


Um cão salvou a vida de um menino





De dois anos ao protegê-lo de uma queda de pelo menos dois andares. O pequeno Philip Redman Jr. saiu pela janela e correu pela laje do apartamento onde morava, seguido pelo cachorro Alfie na Filadélfia, nos Estados Unidos, de acordo com a CBS.

Enquanto Philip corria de um lado para o outro, Alfie mantinha o bebê longe da beirada e latia para chamar a atenção. Quando passava pela janela de um vizinho, foi avistado e salvo. "Eu vi o bebê passar pela janela e não acreditei, depois passou o cachorro", disse Tina Mitchell, vizinha da família.

Philip fugiu enquanto os pais dormiam e empurrou um "chiqueirinho" para bebê que estava em frente à janela para poder sair. "Ele literalmente escalou a janela e saiu", disse o pai, Philip Sr.

De acordo com Mitchell, o bebê parecia estar se divertindo muito correndo de um lado para o outro com o cachorro, que agora é o herói do bairro.


Gato SRD salva aposentado





Em 06 de janeiro de 2006, nos E.U.A., Gary Rosheisen, 50 anos, foi salvo por uma ligação telefônica feita a patadas. O norte-americano aposentado, que sofre de osteoporose, havia caído de sua cadeira de rodas. Após a queda, conforme contou aos policiais, não conseguiu se levantar porque sentia muitas dores. Ele tentou, mas não conseguiu alcançar uma alavanca sobre sua cama que acionaria os paramédicos.

Tommy, seu gato SRD, havia sido treinado pelo dono para apertar a tecla de emergência do telefone, mas ele achava que o gato não havia aprendido o "truque". Ao ver o dono caído ao lado da cama, o gato mostrou que havia aprendido sim e chamou mo serviço de emergência dos EUA (911).

A polícia recebeu a chamada e estranhou o silêncio do outro lado da linha (não, ele não miou para contar o que estava acontecendo). Uma viatura foi levada até a casa do aposentado, onde Gary foi encontrado desmaiado enquanto o gato permanecia ao lado do telefone que fica no chão da sala e tem doze teclas de discagem automática, incluindo teclas para emergência (911) e para o modo viva-voz do aparelho.

Gary adotou Tommy há cerca de 3 anos, após médicos terem indicado um bicho de estimação para melhorar sua qualidade de vida e reduzir sua pressão.

Certamente ele superou todas as suas expectativas!


Delicadeza Sutil da Gata Mimi





Manoel, o mecânico da garagem do Edifício dos Bancários ,estava furioso . Ele era um hábil mecânico, mas desta vez não conseguia consertar o automóvel de um morador, seu antigo freguês.

Aconteceu ainda que uma gata, sem habitação e alimentação regular era amiga de Manoel . Ela aparecia, não se sabe de onde, naquele mesmo horário junto a Manoel para partilhar com ele o almoço que o mecânico trazia de sua casa . Ele a chamava de Mimi .

Manoel possuia sensibilidade e gostava de animais, sentimento raro no ser humano. Mas o mecânico estava de muito mau humor, por isso foi grosseiro com a gata amiga . Dirigiu-se a ela asperamente: "Hoje não tem almoço , não . Pode ir embora."

A gata Mimi afastou-se devagar. Algum tempo depois voltou trazendo na boca um rato que ela caçara pouco antes . Colocou-o tranquilamente aos pés de Manoel : "ele não tem nada para comer hoje".

Toda a sua fúria tombou diante do gesto de Mimi. Manoel ficou perplexo esquecendo o automóvel e seu rico proprietário . Que fazer agora ? Certamente ele não comeria o rato recém caçado . Joga-lo no lixo seria magoar Mimi . Então tomou uma folha de jornal e embrulhou delicadamente o rato morto . Disse a Mimi: "Vou guarda-lo por enquanto no vão da escada que conduz ao primeiro andar, onde troco minha roupa de rua pelo macacão de trabalho. Hoje almoçaremos mais tarde quando eu terminar minha tarefa."


NECO - O PAPAGAIO HERÓI







Neco, um papagaio de 2 anos e meio, virou herói ontem de manhã ao frustrar os planos de três bandidos que assaltavam prédio na Rua Antônio Nascimento, no Jardim Guanabara, Ilha do Governador. Após duas horas como refém junto com 20 moradores, a ave aprontou um escândalo e partiu para cima de um dos ladrões. Temendo serem descobertos, os assaltantes, que haviam saqueado pelo menos sete dos 10 apartamentos do edifício, fugiram com muito menos que pretendiam levar.

Com revólveres e pistolas, os criminosos invadiram o prédio às 8h, rendendo o porteiro José Lourival Costa, dono de Neco. Quando desciam para a portaria, moradores eram dominados e levados ao quarto de Lourival. Lá, foram amarrados e amordaçados com tiras de lençol. Neco começou a se irritar. Deu gritos e emitiu sons como se fossem gargalhadas.

"Os ladrões começaram a ficar nervosos, achando que alguém ia escutar", lembra Lourival. Até que o papagaio voou no pescoço de um deles e deu uma bicada. "O cara ficou muito irritado. Pegou o Neco, apontou para cabeça e disse: "Vou estourar os seus miolos se você não ficar quieto". Mas ele não se calou, lembrou o porteiro.

O que estava com a chave do carro fugiu e os seus comparsas somente puderam levar um computador portátil, 2 mil reais e cartões. "Só mesmo o Neco para quebrar o terror que a gente viveu", disse Carlos.

Fonte: Jornal O Dia


Leões salvam menina de seqüestradores na Etiópia







Uma menina de 12 anos, seqüestrada por homens que queriam forçá-la a se casar foi encontrada sob a guarda de três leões na província de Bita Genet, na Etiópia.

Aparentemente, foram os animais que afugentaram os bandidos.

A garota, desaparecida há uma semana, foi levada por sete homens que queriam obrigá-la a casar-se com um deles, disse o sargento Wondimu Wedajo. Ela foi espancada várias vezes antes de ser encontrada por policiais e parentes. Os leões a protegeram por quase 12 horas.

"Eles ficaram lá com a menina até a encontrarmos e aí foram embora para a floresta. Se os leões não estivessem lá, as coisas poderiam ter sido piores", afirmou o policial.


Cão "salva" dono de cometer suicídio na Malásia







Um cachorro de estimação salvou a vida de seu dono no domingo em Kuala Lumpur, na Malásia.

O homem de 40 anos estava prestes a pular de uma ponte e cometer o suicídio quando foi avisado que seu animal estava morrendo


DE OLHO NO MUNDO ANIMAL







O biólogo e filósofo da natureza Rupert Sheldrake, estudando e questionando fenômenos do mundo animal, diz sobre premonição de catástrofes:

Existem inúmeras histórias sobre animais de estimação que tentam advertir seus donos dos perigos de uma viagem que, de fato, acaba se revelando fatal. Mais impressionante é o comportamento deles antes de terremotos”.

Sheldrake lembra que, antes do terremoto de 1960, que matou 15 mil pessoas no Marrocos, animais foram vistos correndo para longe da região. Muitos animais parecem também ter fugido antes do abalo que atingiu a Iugoslávia, três anos mais tarde. O biólogo ainda cita que animais abandonaram a região de Tashkent, na Rússia, pouco antes do terremoto de 1966.

Fonte: Jornal "literatura do Graal"